domingo, 16 de maio de 2010

Momento Missionário – Jim Eliot

"Aquele que dá o que não pode manter, para ganhar o que não pode perder, não é um tolo"
A história de Jim Elliot e seus quatro amigos é uma das histórias missionárias mais empolgantes e inspiradoras.
Jim Elliot nasceu em 8 de Outubro de 1927 na cidade de Portland, no estado americano de Oregon. Jim pertencia a uma família cristã dedicada ao Senhor; desde cedo foi instruído nos caminhos de Deus, e veio a receber a Cristo como seu salvador aos 8 anos de idade. Fred, um pastor batista, e Clara Elliot, seus pais, eram bastante cuidadosos quanto à instrução bíblica de seus filhos e exerceram forte influência na formação de suas vidas.

Jim revelou-se um jovem bastante talentoso, destacando-se em todas as atividades que se envolvia. Era líder de sua classe, e detentor de uma brilhante oratória. Elaborou um aclamado discurso de honra em homenagem ao presidente americano, Franklin D. Roosevelt, por ocasião de seu falecimento. Graduou em "desenho arquitetônico" na High School e depois se transferiu para a faculdade cristã de Illinois, a Wheaton College, onde se graduou com as mais elevadas honras.

Convicto de sua vocação e chamada, Jim prioriza seus estudos com o intuito de alcançar a melhor preparação possível para o seu ministério. Empenha-se no estudo do grego, já visando uma possível tradução do evangelho para alguma lingua nativa. Segundo o registro de seu diário, sua vida tinha sido profundamente impactada pelos testemunhos de missionários como David Brainerd e Hudson Taylor. Jim Elliot orava constantemente: "Consuma minha vida, Senhor. Eu não quero uma vida longa, mas sim cheio de Ti, Senhor Jesus. Satura-me com o óleo do teu Espírito...". Durante seus estudos conheceu Elizabeth Howard, que também tinha um chamado para missões transculturais. Apesar de seus sentimentos um pelo outro, aguardaram em oração a confirmação de Deus, e somente após a graduação eles se casaram. Jim e Elizabeth se casaram em 1953, na cidade de Quito (Equador) e em 1955, nasceu sua filha Valerie.

Jim recusou convites para pastorear em algumas igrejas nos ministérios da juventude. Para alguns líderes, Jim tinha um futuro bastante promissor no ministério pastoral nas igrejas do EUA. Por esta razão foi criticado quando insistia em sua decisão em levar o evangelho de seu Salvador aos índios na Amazônia. Jim convenceu dois de seus amigos (Ed mcCully e Peter Fleming) que trabalhavam com ele numa rádio de difusão do evangelho a participarem da escola linguística, juntamente com ele e Elisabeth. Mais tarde , os três amigos e suas esposas (Jim e Elisabeth casaram-se no Equador) partem ao Equador para trabalharem com os índios Quechua. No Equador, um piloto missionário, Nate Saint, e sua esposa juntaram-se ao grupo. Conseguiram estabelecer uma estação da missão entre os índios Quechua. Jim e Elizabeth trabalharam na tradução do Novo Testamento para a língua dos quechuas. Nesse tempo Jim se lembrou dos índios aucas (hoje conhecidos como Huaoranis) que tinham a fama de serem muito violentos e que não possuiam nenhum contato com o mundo exterior. Com o propósito de levar o evangelho aos índios huaoranis, o grupo começou a elaborar um plano que ficou conhecido como Operação Auca.

Roger Youderian, um novo missionário, com sua esposa pediram para se juntar ao grupo. Nate Saint, conseguiu avistar alguns índios aucas sobrevoando algumas áreas que foram demarcadas no mapa da operação. A partir de então começaram sistematicamente sobrevoar as áreas dos huaoranis durante quatro meses levando presentes. Amarrado por uma corda, um balde cheio de roupas, bugicangas, cereais e fotografias dos missionários era levado pelo avião que em vôos baixos deixava cair os presentes. Os índios aucas chegaram a colocar no balde um papagaio e alguns enfeites de suas vestimentas. Diante do progresso alcançado, os cinco jovens missionários resolvem montar um acampamento às margens do rio Curray. Através de uma estação de rádio comunicavam constantemente com suas esposas que tinham ficado na base da missão.
Pouco tempo depois, um grupo de quatro índios visitaram os missionários em seu acampamento. Os missionários deram-lhes presentes e alimentos como um sinal de paz. Outros contatos foram feitos por mais algumas vezes e um daqueles índios chegou a voar com Nate Saint em seu avião, sobrevoando sua própria aldeia. Incentivados por uma visita no dia 7 de Janeiro, os missionários decidiram ir até a aldeia dos huaoranis. Acordaram cedo e louvaram ao Senhor na manhã de 8 de Janeiro. Nate e Jim sobrevoando a área da aldeia dos aucas avistaram um grupo de 20 a 30 índios se movendo em direção ao acampamento. Através do rádio comunicaram com suas esposas e decidiram ás 16:30 entrarem em contato novamente.

Ao chegarem na praia de seu acampamento, Nate e Jim avisaram aos outros que os aucas estavam vindo. Munidos de armas decidiram não utilizá-las. Pouco tempo depois chegaram os aucas e pouco esses cinco jovens puderam fazer. Foram mortos pelos aucas naquele dia de 8 de Janeiro de 1956. Angustiadas pela demora do contato de seus maridos, suas esposas solicitaram imediatamente ajuda. Helicópteros e forças do exercito equatoriano sobrevoando o rio Curray encontraram os corpos de quatro missionários (não foi encontrado o corpo de Ed McCully). Seus corpos foram encontrados brutalmente perfurados por lanças e machados. O relógio de Nate Saint foi encontrado parado em 15:12 minutos, do que se deduz a hora em que foram mortos.

As esposas desses missionários, apesar da grande dor que sofreram, decidiram continuar com a missão, e algum tempo depois foram sucedidas na evangelização dos aucas. A tribo foi evangelizada e alguns anos mais tarde, o assassino de Jim Elliot, agora convertido ao Senhor Jesus e líder da igreja na aldeia batizou a filha de Jim e Elizabeth no rio onde seu pai tinha sido morto.


http://www.evangelizabrasil.com/wp-content/uploads/2008/08/jim-elliot-11.gif


A vida e o testemunho desses cinco missionários martirizados por amor ao evangelho têm inspirado até hoje centenas de jovens a dedicar suas vidas ao Senhor da seara. Jim Elliot procurou servir a Jesus com todas as suas forças e a maior parte de sua vida e de seu ministério é contado por sua esposa Elizabeth em dois livros publicados posteriormente. Sua célebre frase, encontrada em seu diário nos inspira a entregar sem reservas a nossas vidas nas mãos do Mestre: "Aquele que dá o que não pode manter, para ganhar o que não pode perder, não é um tolo".
Biografia de Jim Elliot compilada por Luciano Hérbet.


Referências:

Em 2005 foi lançado o filme Terra Selvagem (End Of The Spears) contando a história dessa Missão. Atualmente essa tribo é evangelizada e convertida ao Senhor Jesus. Abaixo o trailer do filme.



"Todos ficaram comovidos pela notícia da morte de cinco jovens que tentaram evangelizar uma tribo de índios selvagens, chamados Aucas, na floresta amazônica do Equador. O mundo incrédulo somente podia interpretar essa chacina em 1956 como um grande desperdício! Os evangélicos que acompanharam os preparativos e os cuidados desses missionários concluíram que Deus aprovara e galardoará eternamente esse investimento de esforço e vida." - Citado por Russel Shedd, Teologia do Desperdício, p. 12.

A missionária Bárbara, viúva de Rogério Youderian, escreveu em seu diário: "Hoje o Capitão nos disse que encontrou quatro corpos no rio. Um tinha camiseta e jeans azuis. Rog foi o único que os vestia [...] Deus me deu este versículo dois dias atrás: "Este é Deus, o nosso Deus para todo o sempre; ele será nosso guia até à morte" (Sl 48.14). Quando eu cheguei a enfrentar, cara a cara, as notícias da morte de Rog, meu coração ficou cheio de louvor. Ele era digno de sua ida para casa. 'Ajuda-me, Senhor, ser tanto mamãe como papai dos meus filhos'.

Fico pensando o que se deve passar na mente de alguém sem a menor esperança de vida eterna quando lê esta história. Para uma pessoa assim tudo isso não passa de desperdício e loucura. Talvez um dia quando essa pessoa compreender o que é Salvação e Eternidade ela possa provar da convicção de um Cristão.

"Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens." - 1 Coríntios 15:19

Luiz Augusto

3 comentários:

Luiz Augusto disse...

Eu já assisti esse filme e ele é fantástico. Quero propor nos juntarmos para assisti-lo juntos e orarmos por Missões.

Mari Siqueira disse...

Tb já assisti, Luiz! =D

Mas amei a idéia de nos juntarmos pra assistir! Vale muito a pena, mesmo pra quem já assistiu, pq sempre aprendemos coisas diferentes quando assistimos mais de uma vez. E se vier acompanhado de muita oração, será um momento ainda melhor! ;)

Por mim está feito! Basta marcar onde e quando!

=**

Taciana Albuquerque ;D disse...

Que coisa linda, poxa vida! *-*
Isso é bom pra meditar até onde vai nosso amor por Cristo!
Infelizmente não me sinto pronta, hoje, pra morrer em um ataque assim... Deus sabe de todas as coisas!
Mas se o meu chamado for um assim, Deus me prepara. :D

ps: o filme deve ser ótimo *-*

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...