domingo, 13 de março de 2011

Contemplando a Glória de Deus


"Eu caminhava fora, sozinho, num local solitário nos pastos de meu pai, buscando contemplação. E enquanto eu andava ali, e olhando para os céus e as nuvens, entrou na minha mente uma apreensão tão doce da majestade e graça gloriosas de Deus, que não sei como expressar. Parecia-me contemplar a ambas em uma linda conjunção; majestade e mansidão unidas: era tão bonito e gentil, e santo e majestoso; e também uma mansidão majestosa; uma doçura terrível; uma gentileza elevada, grandiosa e santa.
            A aparência de todas as coisas foi alterada; tive a impressão de que havia, como se fosse um aspecto calmo e doce, uma aparência da glória divina, em quase tudo. A excelência de Deus, sua sabedoria, sua pureza e amor, pareciam surgir em todas as coisas; no sol, lua e estrelas; nas nuvens e no céu azul; na grama, nas flores e nas árvores; na água, e em toda natureza; o que grandemente contribuiu para minha concentração; eu costumava sentar e ficar observando a lua por um longo tempo; durante o dia, gastava muito tempo vendo as nuvens e o céu, para contemplar a doce glória de Deus nestas coisas; enquanto isto, cantava em voz baixa o que eu contemplava do Criador e Redentor." (Jonathan Edwards)
O texto lido refere-se a uma experiência que o pregador Jonathan Edwards teve um dia enquanto caminhava na fazenda de seu pai, onde parou para contemplar a glória de Deus. Sabe-se a respeito de sua biografia, que ele tinha o hábito de contemplar a Glória de Deus na natureza, nas escrituras, nas coisas simples do dia-a-dia e em tudo o quanto foi criado e ele fazia disso um momento de meditação e um deleite precioso para a sua alma.  Diante desse exemplo deveríamos pensar no quanto precisamos seguir o seu exemplo. Vivemos em um mundo tão ativo e conturbado que aquietar-se por um momento e cultivar um pouco de serenidade em meio à solitude é algo extremamente necessário, além do mais, a bíblia de fato nos exorta a fazer isso e nos garante grandes benefícios.

Para começar, precisamos entender porque é tão importante aprender a contemplar a glória de Deus. Às vezes, nos preocupamos em fazer dezenas de coisas, dentro e fora da igreja, tanto para a glória dEle, como também não, e esquecemos que antes mesmo de Cristo nos chamar ao ativismo, ele nos chama à comunhão. Ele primeiro disse "Vinde a mim" para depois dizer "e eu vos farei pescadores de homens" (Mt 4.19). E no processo de comunhão, o contemplar a face de Deus é algo essencial, porque é isso que vai nos fazer mais parecidos com Ele. Veja o que o apóstolo Paulo disse: "E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito" (2 Co 3.18). Devemos entender que é quando contemplamos a glória de Deus que somos transformados na sua imagem. Se não o fazemos, não o somos. Se o fazemos, somos! Daí a importância de aprender esta arte.

Quando medito no que significa contemplar a glória de Deus confesso que me deparo com um terreno que ainda não foi totalmente explorado pela minha pessoa. Quanto mais vivo a vida cristã, mais descubro que existem diversas formas de contemplar a glória de Deus e que Deus se revela de diversas formas em diversos cantos. Tenho aprendido que podemos contemplar a Glória de Deus nas escrituras, na natureza, nas pessoas, nas coisas do dia-a-dia e sei que Deus ainda me surpreenderá de diversas formas.

Mas para começar, existe uma contemplação extremamente necessária, que é através da natureza. Contemplar a Deus através da natureza é algo que muitos ainda não entenderam ser possível. Quando encontramos algum relato de pessoas que tem esse hábito, muitas vezes nos perguntamos se é sério. Isso realmente é possível? Ah, que nada! Ninguém faz isso! Mas é fato que a bíblia nos diz que "Os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento anuncia as obras de suas mãos" (Sl 19.1). "Os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas." (Rm 1.20). É possível contemplar a Glória de Deus na natureza, porque ela de fato revela essa glória! Jesus Cristo nos disse: "observai as aves do céu", "vejam como crescem os lírios do campo" (Mt 6.26,28). 

Então por que não usufruir desse meio de graça? Que tal parar um pouco e contemplar a natureza?  Olhar para os lírios do campo e glorificar ao criador pela beleza de sua criação. Olhar para o céu e reconhecer que por trás de tamanha beleza há um Deus que sustenta tudo pela força de seu poder. Quem sabe observar como Deus alimenta as aves do céu, que nem semeiam, nem colhem. Olhar para uma flor e perceber que a nossa beleza, assim como a dela, logo passa. Olhar e fazer como Jonathan Edwards que reconheceu "uma aparência da glória divina, em quase tudo". Tenho certeza que "A terapia da quietude, o contemplar da natureza, nunca deixarão de conduzir os nossos corações para mais perto de Deus" (Charles Swindoll).

Precisamos aprender também a contemplar a glória de Deus nas pessoas e nas coisas do dia-a-dia. Se parássemos para observar as pessoas, certamente aprenderíamos muito com elas e glorificaríamos mais a Deus. Quantas vezes Deus falou ao meu coração simplesmente observando as boas dádivas das pessoas? E o quanto dei glórias a Deus pelo agir dEle na vida de outros? Certamente essas coisas revelam a glória de Deus, porque a bíblia diz que "Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes" (Tg 1.17). É Ele quem opera, e contemplá-las é simplesmente contemplar o agir de Deus! E o que falar sobre as coisas simples do dia-a-dia? Já parou para reparar como uma conversar sobre futebol, ou filmes, ou música pode ser tão bela e santa e refletir a glória de Deus mesmo quando não se fala diretamente dEle? Que tal tentar reparar como existem coisas tão simples no nosso dia-a-dia que podem fazer alguém tão feliz, enquanto esperamos nos satisfazer somente com o muito. Ou observar e aprender que muitas coisas que julgamos ser sem importância pode ser extremamente valioso para alguém. Tais coisas certamente revelam a glória de Deus e contemplá-las nos tornará mais parecidos com Cristo.

E o que falar sobre contemplar a glória de Deus nas escrituras? Certamente ela foi escrita para revelar essa Glória. Ora, porque dele, e por meio dele, e para ele não são todas as coisas? (Rm 11.36) Toda a escritura não foi escrita para falar sobre Cristo? (Lc 24.27) Então é claro que as escrituras revelam a glória de Deus! Precisamos aprender a lê-la e ver a beleza que emana de suas páginas. Precisamos enxergar o amor de Deus nas escrituras, a justiça dEle, a soberania, a sua gloriosa presença e intervenção e assim glorificá-lo pelos seus grandes feitos. Observar como ele tirou o povo do Egito, como ele derrubou as muralhas de Jericó, ou como trouxe juízo sobre a vida de Acã, Ananias e Safira e glorificá-lo pela sua grandeza. Talvez reparar como foi perfeito o plano de redenção dEle, ou como é maravilhoso o agir do Espírito Santo na sua igreja ou até mesmo contemplar a fidelidade de suas promessas, ou como será glorioso o grande dia da volta de Cristo. As possibilidades são muitas, mas a recompensa é sempre a mesma: "sermos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito".

Por fim, precisamos aprender a contemplar a glória de Deus. Algumas coisas certamente são necessárias quando tencionamos realizar essa atividade. A primeira delas é cultivar a simplicidade. Precisamos aprender a nos contentar com as coisas mais simples da vida, como a serenidade de um relacionamento com Deus,  ao invés de tantas atividades que muitas vezes não nos levam a lugar nenhum. Em segundo, precisamos  nos aquietar. Vivemos em um mundo que nos oferece muitas distrações e diversas atividades para realizar. Se não pararmos de fazer tantas coisas e redefinir as nossas prioridades nunca pararemos para ter uma vida de intimidade com Deus. Em terceiro, precisamos cultivar a disciplina da solitude. Precisamos parar para nos relacionar com Deus. “O silêncio é indispensável se quisermos alcançar profundidade em nossa vida espiritual” (Charles Swindoll). É essencial termos aquele momento só nosso onde não realizamos nenhuma outra atividade e nos dedicamos único e exclusivamente para contemplar a glória de Deus. E, por fim, precisamos renunciar. Todas essas coisas que citei exigem renúncia. Cultivar uma vida de intimidade com Deus é ingressar em uma viagem contra o vento, quando todo o mundo está correndo atrás de coisas fúteis e nós buscando um relacionamento verdadeiro com Deus.

Portanto, que tal seguir o belo exemplo do nosso querido Jonathan Edwards? Reserve um tempinho para caminhar por um parque e observar a natureza, as pessoas e as coisas belas do dia-a-dia e dê glórias a Deus por tudo que ele criou, enquanto medita em versículos bíblicos e canta bem baixinho "santo, santo, santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória". (Is 6.3) Certamente seria um ótimo exercício. Desejo-lhe esse excelente momento de solitude!

@luizaugusto__

2 comentários:

Daniely Silva Duarte disse...

Acabei de contemplar a glória de Deus nessas palavras!!! Rm 11.36!!!

Taciana Albuquerque ;D disse...

Glória a Deus *-*
Contemplemos a sua face! Vivamos um pedaçinho do céu aqui nessa terra :D

"E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste" (Jo 17:2)

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...